O ano de 1947 registrava expressivo número de Rosacruzes no Brasil. São Paulo era a cidade que, na época, tinha o maior número de estudantes, credenciando-se assim para ser o primeiro Organismo Afiliado da AMORC.

O Frater Hildebrando de Paula França, um dos Membros mais antigos, advogado de profissão, foi indicado pela Suprema Grande Loja para coordenar e presidir os trabalhos da comissão organizadora. Começou a receber em seu escritório, na Rua XV de Novembro 233, os Fratres e as Sorores que o procuravam, atendendo ao chamamento feito pelo então Supremo-Secretário da Suprema Grande Loja, Frater Cecil A. Poole. Algum tempo depois e sentindo a viabilidade do empreendimento, o Frater França expediu a seguinte circular a todos os Membros da área de São Paulo, que dizia:
“São Paulo, 13 de junho de 1947.

Respeitável Senhor e Frater:
Tenho a honra e o prazer de participar a V.S. que a primeira reunião de or­­ganização de um Capítulo, nesta Capital, da Antiga e Mística Ordem Rosacruz, a que se refere a circular do Supremo-Secretário será realizada no dia 28 de junho corrente, sábado, às 20 horas e 30 minutos, na Rua Tabatingüera nº165. Para a ocasião, cada um dos presentes deverá estar munido de seu cartão de afiliação, para exibi-lo quando exigido. Contando com o seu com­parecimento e com os melhores votos de Paz Profunda, subscrevo-me atenciosamente, Hildebrando de Paula França.

No dia 28 de junho estiveram presentes, de acordo com a ata da reunião, 69 Rosacruzes a seguir relacionados como fundadores:
1) Hildebrando de Paula França – 18 748 S
2) Nicolau M. F. Taranto – 87 455 P
3) Vicente Krivaneck – 31 007 P
4) George Craig Smith – 37 122 P
5) Arnaldo Paula Campos – 87 622 S
6) Dagmar de Oliveira Itaguy – 86 627 S
7) Antonieta Roberto – 44 797 S
8) Messias Costa Silva – 88 868 S
9) Aracy Sala – 41 098 S
10) João Kucharska – 71 772 S
11) José Lopes Sant’Anna – 86 208 S
12) L. D. Prado Júnior – 81 165 P
13) Judite Sisternas Corrêa – 87 547 P
14) Álvaro Adalberto Pires – 83 095 S
15) Affonso da Silva Mattos – 73 833 S
16) Gregória Bomfim – 90 702 S
17) José Mencio – 81 050 S
18) Jonas Brandolim – 87 541 S
19) Agostinho Fernandes Júnior – 79 623 S
20) Francisco Beljak – 82 881 S
21) André Dialetaquis – 72 914 S
22) Alberto Mamede – 51 597 S
23) Mário Vicente Cuppari – 88 174 S
24) Lázaro Félix dos Santos – 57 636 S
25) Rubens Fernandes Gonçalves – 87 975 S
26) Manoel Galeije Ohnos – 82 005 S
27) Flamínio A. Polati – 79 498 S
28) Sylvio E. Polati – 79 498 S
29) Oreste Nesti – 89 574 S
30) João Cisnau – 47 429 S
31) Celestino Puntel – 42 616 S
32) Mathilde N. Azevedo – 68 991 S
33) Nelson Toledo – 31 872 S
34) Maria Luiza Dorta – 50 512 S
35) Lázaro Ferreira de Almeida Junior – 75 319 S
36) Antonio B. Chiossi – 81 532 S
37) Demerval Oliveira Brito – 87 464 S
38) Antonio Torrioli – 87 999 P
39) L. O. Passos – 84 658 P
40) Lucas Sabato – 61 830 S
41) Clóvis de Lima Franco – 89 012 S
42) Rogério Avelino de Souza – 90 747 S
43) Iracema A. Carvalho – 90 871 S
44) Stefano Bilacz Filho – 91 487 S
45) João da Matta e Silva – 80 621 S
46) Antonio Fulco – 76 454 S
47) Davis Ferreira – 69 047 S
48) Umberto de Andrade – 87 538 S
49) Júlio Moledo –83 825 S
50) Arthur Kuock – 8 013 P
51) Antonio Alves Figueiras – 53 594 P
52) Antonio Joaquim Mesquita – 58 645 P
53) Maurício Barrak – 87 342 S
54) Giacomino Della Vecchia – 72 252 S
55) Ambrosio Theodoro Nizcaino – 86 179 S
56) Luiz Otoni de Oliveira – 84 001 S
57) Angelo Lima – 83 814 S
58) Orentino Martins – 80 674 S
59) Leonardo Pappalardo – 86 211 S
60) Felipe Lentini – 70 358 S
61) Alberto B. Pinto Dias – 80 330 S
62) Ema de Carvalho Lentini – 70 358 S
63) Carmem X. C. de Martins – 79 493 S
64) Lydia Silva Goffert – 90 383 S
65) Antonio de Oliveira Dias – 26 793 S
66) Maria Leopoldina Dias – 26 793 S
67) Maura de Pinna Dorta – 35 730 S
68) Enoy Telles Esteves – 64 140 S
69) Moacyr Espíndola – 88 381 S

Observamos que os membros com a letra “S” eram Rosacruzes de língua espanhola e os que tinham a letra “P” transferiram posteriormente sua afiliação à Grande Loja de Jurisdição de Língua Portuguesa, AMORC-GLB

O Dr. Hildebrando de Paula França dirigiu a palavra a todos os presentes, dizendo que naquele momento ficaria fundado o Primeiro Organismo Afiliado da Antiga e Mística Ordem Rosacruz, AMORC, no Brasil!
e mais além:

“É, portanto, nossa responsabilidade manter acesa essa Luz, para felicidade do Brasil, de seu povo, da nossa Fraternidade e para maior glória de Deus”.

Convém destacar que no velho casarão, o local onde se realizou essa primeira reunião do Rosacrucianismo no Brasil, constituia-se no salão superior da Loja Maçônica Amizade, onde grandes homens da história brasileira haviam participado de reuniões importantes, tais como: José Bonifácio, Duque de Caxias, Ruy Barbosa e outros.

A segunda reunião de constituição ocorreu em 12 de julho de 1947 e a Primeira Reunião Capitular em 26 de julho, quando foi designado o Comitê para considerar os novos procedimentos recebidos da Suprema Grande Loja.

No dia 21 de setembro do mesmo ano realizou-se a Primeira Festa da Pirâmide, ao ar livre, em comemoração à construção da Grande Pirâmide de Queops, em Gizeh, no Egito, erguida há mais de 4.000 anos a.C.

Na Convocação Ritualística de 8 de maio de 1948 foram instaladas as primeiras vestais do Capítulo:

Neide de Oliveira Dorta, Elvira Brandolim e Helena de Paula Campos, tendo atuado como Oficiais, Frater Hildebrando de Paula França, Mestre; Frater George Craig Smith, Secretário, o Frater Arnaldo de Paula Campos, Guardião e a Soror Antonieta Roberto, Capelã.

Na mesma oportunidade e, em seguida, foi realizada a Primeira Sessão de Iniciação do Capítulo, sendo iniciados 40 Rosacruzes Fundadores.
A primeira gestão estendeu-se até 20 de março de 1949. Em 21 de março, iniciou-se a gestão do Frater Sylvio E. Polati que deu impulso à campanha pró-Templo. A terceira gestão, do Frater Lauro de Almeida Scar, iniciada em março de 1950, a sede do Capítulo foi transferida para a Rua Riachuelo nº 275, salas 815 e 816, em face da demolição do prédio da Maçonaria.

A quarta gestão iniciou-se em março de 1951, sendo o seu Mestre o Frater Oresti Nesti, músico de formação. Nessa gestão, por determinação da Suprema Grande Loja foi mudado o Ritual de Convocação introduzindo-se as figuras do Guardião Interno, do Cantor e da Cantora e passando todos os Oficiais a usarem vestes ritualísticas. Naquele ano de 1951 foi fundado o Capítulo Rio de Janeiro, em 5 de abril.
A quinta gestão, a partir de março de 1952, teve como Mestre o Frater Antonio Fulco, fazendo-se a mudança da sede para a Rua Firmino Pinto 73, no bairro do Brás.

A sexta gestão iniciou-se em março de 1953, tendo como Mestre o Frater Hildebrando de Paula França, retornando ao cargo e revendo as normas administrativas do Capítulo.

A sétima gestão foi a partir de março de 1954, tendo como Mestre o Frater Max Barbosa da Matta Machado, quando se fez o registro dos Estatutos do Capítulo. Também processou-se a mudança da sede para a Rua Santo André nº144 no Centro da cidade, sede essa inaugurada em 22 de outubro de 1954, através de convocação especial com a presença dos Rosacruzes da Loja Rio de Janeiro, entre os quais a Soror Maria A. Moura e do Frater José de Oliveira Paulo.

A oitava gestão iniciada em março de 1955, tinha como Mestre o Frater Oswaldo Corazza. Nessa gestão, os Rosacruzes tiveram a satisfação de receber, entre 18 e 21 de outubro, o Imperator Ralph M. Lewis e sua esposa Soror Gladys Lewis. Pelo trabalho desenvolvido pelos Rosacruzes o Frater Lewis propôs a elevação do Capítulo à Loja. Durante a Convocação Ritualística falou da importância da Grande Pirâmide como local de iniciações dos místicos do passado e após fazer uma invocação especial, dedicou o Templo ao serviço de Deus e da Humanidade, com água do Rio Nilo que trouxera de sua viagem em 1953. Também descerrou a placa comemorativa de sua visita e se despediu dos Rosacruzes de São Paulo.
A nona gestão a partir de março de 1956 teve como Mestre o Frater Júlio Moledo, que se dedicou à expansão da Ordem apresentando um filme sobre o Parque Rosacruz de San Jose, na Ca­lifórnia, e palestra pública “Quem são os Rosacruzes”. Nesse ano, em 9 de maio, ocorreu a fundação da Grande Loja do Brasil instalada inicialmente na Praça Mauá nº 7, no centro do Rio de Janeiro, abrindo, dessa forma, os caminhos para a expansão do rosa­­crucianismo no Brasil.

A décima gestão iniciou-se em março de 1957 e teve como Mestre o Frater Sidônio Gomes Moreira, com expressivo crescimento do rosacrucianismo em geral.

Em março de 1958, iniciou-se a gestão do Mestre Frater Juan Herrero Gomez, que organizou caravana de Rosacruzes ao Rio de
Janeiro, onde, a 31 de maio, 28 Rosacruzes de São Paulo foram iniciados ao 1º Grau de Templo, na Loja Rio de Janeiro, vi­sitando, no mesmo dia, a nova sede da Grande Loja do Brasil quando, a convite da Soror Maria A. Moura, Grande Secretária, inauguraram a placa de identificação da Grande Loja. Nesse mesmo ano o Capítulo São Paulo foi elevado à Loja, em 22 de novembro, quando foi realizada a Primeira Cerimônia de Iniciação ao 1º Grau de Templo e iniciados dez Membros veteranos, contando com a presença de Oficiais e Membros da Loja Rio e da Grande Loja, Soror Maria A. Moura, Grande Secretária e Frater José de Oliveira Paulo, Grande Tesoureiro.

Durante o almoço oferecido a todos os visitantes locais e do Rio de Janeiro, o Mestre do Capítulo São Paulo, AMORC deu as boas-vindas aos Fratres e Sorores, proferindo o seguinte discurso:

“Queridos Irmãos… Queridas irmãs…. Na qualidade de representante de nosso amado Capítulo, e, representando também os Fratres e Sorores de São Paulo, eu tenho a grata satisfação de dar as boas-vindas aos nossos Irmãos e Irmãs do Rio de Janeiro, que hoje nos visitam. Após alguns meses tornamos a nos encontrar, verdadeiramente felizes, nesta demonstração de Fraternidade verdadeiramente Rosacruz. O dia de hoje “22 de novembro”, traz, para todos nós, uma dupla satisfação. Podemos nos irmanar com os Irmãos e Irmãs da Loja Rio de Janeiro, e, podemos, graças ao Cósmico, elevar o nosso Capítulo à categoria de Loja. O Capítulo São Paulo, vos dá as boas-vindas, e, quando mais tarde, vós vos retirardes para a vossa cidade, que lhes fará o aceno de despedida, será a Loja São Paulo, AMORC. Grande alegria, emana de nossos corações, e o nosso Deus, é testemunha das vibrações de solidariedade emitidas pela nossa mente. Poderá parecer que ficamos tristes em pensar na distância que separa a vossa cidade da nossa. No entanto, por uma graça cósmica, somos Rosacruzes, e, aprendemos que as distâncias terrenas são efêmeras. Assim, gozamos do privilégio de sentir, sempre presente, e, em qualquer hora, a presença de vossas personalidades, e, a presença de nossos Irmãos e Irmãs do mundo inteiro. Meus Irmãos… Minhas Irmãs… Sois para nós nossos parentes chegados… E, como não estamos livres, ainda, das fraquezas da matéria, sentimos vossa ausência material, e, por isso peço, em meu nome, e em nome de meus companheiros de São Paulo, que desculpem esta nossa simples e singela recepção que vos ofertamos, porque, é justo no plano físico as manifestações de alegria, de satisfação e prazer, que nos traz a visita de seres queridos, ausentes por certo tempo. Aceitem nossos abraços e nossas manifestações de amor… e, quando voltarem para vossas cidades, levem as vibrações de carinho, que sempre uniu, une, e unirá, durante a eternidade, com fortes elos, todos os seguidores da ROSACRUZ. Tenho dito”.

Extraído do Relatório da Cerimônia de Elevação do Capítulo São Paulo à categoria de Loja, dia 22 de novembro de 1958.